Fechar
Webconferência
Proposta Curricular de Santa Catarina
Login:   Senha:  
Esqueceu o seu usuário ou senha?

APRESENTAÇÃO

Bem vindo ao Ciclo de Formação para Atualização da Proposta Curricular do Estado de Santa Catarina!

Este é um espaço que pretende promover a discussão e atualização da Proposta Curricular e documentos norteadores da Educação Básica, com a participação de educadores de todas as redes e níveis da educação catarinense.

Aqui você poderá se cadastrar para participar do ciclo de formação que compreende as palestras, as web conferências, os materiais já produzidos disponíveis na Midiateca e os que estarão sendo produzidos durante o ciclo de formação. Enviando sugestões, você colaborará com o texto final da Atualização da Proposta Curricular.

ATENÇÃO!

O CADASTRO PARA CURSISTAS EM EXTENSÃO (EAD) FINALIZOU NO DIA 15/04

As inscrições do grupo de produção encerraram no dia 28/02. No dia 15/04 encerraram-se as inscrições como Cursista Participante EAD
A partir de hoje, 16 de abril de 2014, será possibilitado o cadastramento para participação, porém sem certificado do curso de extensão em EAD "Cursista Participante".


HISTÓRICO

A partir de 1985, com o processo de redemocratização política no Brasil, inicia-se um movimento de discussão educacional com relação às questões curriculares, introduzindo textos ligados a um pensamento mais social provocando um repensar da educação brasileira. Estes textos inseriam o pensamento histórico-cultural no cenário da educação básica, por meio de textos de Antonio Gramsci (1891-1937) e outros autores pertencentes à mesma vertente teórica, dos quais alguns pensadores brasileiros do meio educacional se tornaram divulgadores e intérpretes. É importante salientar, que este movimento foi fortemente marcado, pelo reconhecimento da ligação entre educação e política, e principalmente, da consequente importância da educação das camadas populares como um dos caminhos para a criação de uma nova hegemonia, ligada aos seus interesses. Nesse movimento é elaborada a Proposta Curricular de Santa Catarina, onde pela primeira vez, decide-se que homem se quer formar, pra construir qual modelo de sociedade. Consequentemente, escolhe-se o que ensinar, e escolhe-se a maneira de compreender e provocar a relação do ser humano com o conhecimento.

A partir deste entendimento foi constituindo-se a Proposta Curricular de Santa Catarina, que ao longo dos últimos vinte e cinco anos foi produzindo documentos norteadores para o currículo da educação básica no Estado, conforme segue:

  • O período de 1988 à 1991, foi dedicado a discussão de um eixo norteador ao currículo escolar buscando uma unidade que se compreende em termos de concepção de sociedade que se pretende para Santa Catarina, a partir da contribuição de Gramsci com a teoria Histórico Cultural.
  • O segundo momento, 1995 à 1998, acontece o aprofundamento e a consolidação deste marco teórico, como também a incorporação de temáticas transversais, com o intuito de superar posturas lineares que, eventualmente, pontuavam a primeira versão. Neste ínterim, houve a realização do Congresso Internacional de Educação, em dezembro de 1996, através do qual foram trazidos ao estado discussões muito atuais sobre a pedagogia histórico-cultural que estavam sendo realizadas na Alemanha, nos Estados Unidos, na Espanha, na Argentina e no Brasil.
  • 1999 a 2003 - foram produzidos os cadernos “Tempo de Aprender” , como também os fascículos denominados “Proposta Curricular de Santa Catarina: síntese teórica e práticas pedagógicas”
  • 2003 a 2005 - Com o intuito de dar mais um passo significativo ao processo de discussão, sistematização e socialização da Proposta Curricular, são constituídos seis Grupos de Trabalho, que produzem, a partir do eixo norteador da proposta, cadernos voltados a educação e infância, alfabetização com letramento, educação e trabalho, educação de trabalhadores, ensino noturno e educação de jovens, servindo como referencial teórico e metodológico para a ação pedagógica nas diferentes etapas e modalidades da Educação Básica.
  • Agora durante o período de 2013 e 2014 em virtude de novas demandas educacionais e curriculares que surgem a partir da homologação pelo Ministro da Educação, das novas Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Básica, Educação Infantil, Ensino Fundamental, Ensino Médio, Educação Profissional Técnica de Nível médio, Educação de Jovens e Adultos, Educação Especial, Educação do Campo, Educação Ambiental, Educação e Direitos Humanos, Educação Indígena, Educação Afrodescendente e Quilombola, Educação e Prevenção, Educação Fiscal, Educação para o trânsito, Educação Nutricional e Alimentar, torna-se necessária a Atualização da Proposta Curricular de Santa Catarina, com o intuito de agregar ao currículo as novas demandas oriundas das respectivas diretrizes.

Neste aspecto, compete a Secretaria de Estado da Educação, a responsabilidade de promover este movimento, envolvendo educadores de todo o Estado, num trabalho de construção coletiva, garantindo assim a coerência dos pressupostos e a atualização curricular com o êxito necessário.


OBJETIVOS

Geral:

  • Realizar Ciclo de Formação para Atualização da Proposta Curricular de Santa Catarina.

Específicos:

  • Realizar seminários e web conferências, visando a participação dos educadores no processo de Reorganização Curricular de Santa Catarina.
  • Envolver as instituições de Educação Superior de Santa Catarina, provocando a reflexão acerca dos currículos das licenciaturas.
  • Produzir Cadernos Curriculares por Áreas do Conhecimento, com abordagens transversais e dimensão interdisciplinar.
  • Publicar os documentos produzidos e distribuí-los a todas as escolas de Santa Catarina.

Meta:

  • Estabelecer o currículo para a educação básica, a partir dos eixos teórico metodológicos da Proposta Curricular de Santa Catarina, com abordagens transversais e dimensão interdisciplinar, num processo coletivo de construção do conhecimento, envolvendo educadores de Santa Catarina.

CRONOGRAMA


CERTIFICAÇÃO

1.Critérios de Participação e Certificação para Atualização da Proposta Curricular de Santa Catarina:
1.1. O educador participante do Grupo de Produção ao final do ciclo receberá Certificado de Cursista Participante do Grupo de Produção desde que:
   - Participe de todas as etapas do Ciclo de Formação definidas no edital;
   - Cumprir as atividades estabelecidas em cada seminário presencial;
1.2.Os casos omissos serão resolvidos pela ACAFE.
1.2.2. A qualquer tempo a Banca de Professores doutores e mestres poderá excluir o cursista selecionado para o grupo de produção que não correspondem ao desempenho das atividades previstas no ciclo.
2. Os Educadores participantes do Ciclo de Formação por meio da Plataforma EAD receberão Certificado de Cursista participante. O Certificado de 20 horas será emitido mediante o cadastro na Plataforma e:
   - Fazer a leitura do manual de utilização do moodle;
   - Acompanhar o ciclo de formação por meio da EAD postando comentários e sugestões sobre o conteúdo produzido em cada seminário e postado na plataforma até o seminário presencial seguinte;
   - Assistir as Web conferencias e palestras dos Seminários na plataforma EAD até 30 dias após a postagem na plataforma;
3. Para maiores detalhes conferir o edital de processo seletivo simplificado;

FACEBOOK

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS

TEMÁTICA 1: Interfaces e Implicações na interlocução das Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação Básica com a Proposta Curricular de Santa Catarina

Análise das Novas Diretrizes Curriculares Nacionais homologadas pelo CNE, com aprofundamento nos seus pareceres, para compreensão do conceito de currículo flexível e integrado relacionando-as ao fortalecimento de um projeto de sociedade, construído por meio da educação/currículo, tendo como base uma concepção de homem, educação e sociedade, expressos na Proposta Curricular de Santa Catarina.

Este currículo deverá evidenciar as áreas do conhecimento, porém integradas e articuladas às temáticas da diversidade/ multidisciplinares, fundamentando tanto a prática pedagógica em sala de aula, quanto os cursos de formação de professores.

Este estudo provocará o reconhecimento e a disseminação dos respectivos temas, por meio da compreensão de que o conhecimento não é linear nem unilateral, mas sim responsabilidade de todos, assumidas pela prática do planejamento coletivo que, de um lado, garante os elementos estruturantes de cada disciplina e de outro, a interlocução entre estes e o cotidiano escolar, tornando-se efetivamente um currículo em movimento, onde as temáticas que o contextualizam, efetivamente estejam em seu interior.

1.1 - Pareceres do CNE acerca das atuais Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais e específicas relacionadas à Educação Básica.
1.1.1 - Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais para Educação Básica;
1.1.2 - Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação Infantil
1.1.3 - Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Fundamental
1.1.4 - Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio
1.1.5 - Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação Ambiental
1.1.6 - Diretrizes Curriculares Nacionais para Direitos Humanos
1.1.7 - Diretrizes Curriculares Nacionais para Quilombolas
1.1.8 - Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação Indigena
1.1.9 - Diretrizes para o atendimento de educação escolar para populações em situação de Itinerância.
1.1.10 - Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação do Campo
1.1.11 - Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação Profissional
1.1.12 – Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica
1.1.13 - Diretrizes Curriculares Nacionais Para a Educação Das Relações Étnico-Raciais e Para o Ensino De História E Cultura Afro-Brasileira e Africana
1.1.14 – Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Básica
1.1.15 – Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação para o Trânsito
1.2 - Proposta Curricular de Santa Catarina
1.2.1 - Eixos Norteadores
1.2.2 - Temas Multidisciplinares.
1.2.3 - Disciplinas Curriculares
1.2.4 - Formação de Professores
1.2.5 - Estudos Temáticos

TEMÁTICA 2: Direitos a Aprendizagem e ao Desenvolvimento na Educação Básica e os Elementos estruturantes das Áreas do Conhecimento.

Estabelecer os direitos a aprendizagem e ao desenvolvimento, de acordo com cada área do conhecimento, considerando as especificidades do sujeito em cada etapa da educação básica. O estudo desencadeará um processo de discussão metodológica acerca de como se dará a atuação do professor, considerando os conceitos/elementos estruturantes de cada área do conhecimento, as dimensões cognitivas e subjetivas do processo de aprendizagem e desenvolvimento e os saberes, experiências e atitudes que deverão ser vivenciados e considerados refletindo a formação integral de cada sujeito.

2.1 - Etapas da Educação Básica
2.1.1 - Educação Infantil
2.1.2 - Ensino Fundamental
2.1.3 - Ensino Médio
2.2 – Áreas do Conhecimento
2.2.1 - Linguagens e Códigos
2.2.2 - Ciências da Natureza
2.2.3 - Ciências Humanas
2.2.4 - Matemática.

TEMÁTICA 3: As Temáticas da Diversidade integradas as áreas do conhecimento numa dimensão interdisciplinar e contextualizada.

Este estudo desencadeará um processo de reflexão das temáticas da diversidade, numa relação interdisciplinar com as áreas do conhecimento, que provocará uma reorganização curricular metodológica do “fazer pedagógico” resultando numa reelaboração da atuação do professor, considerando a responsabilidade de cada um acerca dos conhecimentos relativos às seguintes temáticas.

a) Educação em Direitos Humanos
b) Educação Ambiental
c) Educação Escolar Indígena
d) Educação Especial
e) Educação Fiscal/Financeira
f) Educação para o Trânsito
g) Educação das Relações Étnico Raciais
h) Educação Preventiva
i) Ética e Cidadania
j) Educação do Campo
k) Educação Escolar Quilombola
l) Educação de Jovens e Adultos em Espaço de Privação de Liberdade
m) Populações Itinerantes


TEMATICA 4: Estabelecimento dos conteúdos necessários à elaboração dos conceitos para cada etapa de desenvolvimento da formação básica.

Aprofundamento da compreensão de conteúdos e conceitos, distinguindo-os em sua função e complexificação, em cada ciclo do processo de aprendizagem e desenvolvimento.

Com base nos conceitos elencados, serão estabelecidos os conteúdos necessários para a elaboração conceitual. Estes conteúdos serão construídos sob o viés da interdisciplinaridade, provocando o planejamento coletivo do fazer pedagógico, de cada ciclo inerente às etapas da educação básica, conforme segue:

4.1 - Educação Infantil
          - Creche - 0 a 3 anos
          - Pré-escola - 4 e 5 anos
4.2 - Ensino Fundamental
4.3 - Anos iniciais/alfabetização e letramento – 06 a 10 anos
4.4 - Anos Finais – 11 a 14 anos
4.5 - Ensino Médio – 15 a 17 anos

GRUPO EXECUTIVO

Antonio Carlos

Arlindo Costa

Doutorado em Ciências da Educação. Mestrado em Educação e Ciências. Especialista em Biologia. Integrante da equipe da Proposta Curricular de Santa Catarina (1989-1991), (1996-2000); Professor da rede estadual de Santa Catarina (Ciência/Biologia) – 1982- 2006; Professor universitário: UDESC – 1998-. Docente em cursos de Especialização Lato-sensu (neuronatomia funcional, metodologia da pesquisa, metodologia do ensino superior, metodologia de ciências); Autor de quatro livros voltados para a educação; Coordenador de projetos com alunos de educação básica em eventos como Cientistas do Amanhã; Avaliador da Semana de Ciência e Tecnologia-SC.

Beatriz

Carla Carvalho

Possui Licenciatura Plena em Educação Artística pela Fundação Universidade Regional de Blumenau –FURB (1998), Mestre em Educação pela Universidade do Vale do Itajaí (2003) e Doutora em Educação pela Universidade Federal do Paraná (2008). É professora na Universidade do Vale do Itajaí - UNIVALI. Atua como coordenadora de área de Artes no PIBID/CAPES/UNIVALI. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: arte, arte na educação, formação de professores, currículo e seleção e organização de conteúdos na área das artes.

Cássia Ferri

Possui graduação em Pedagogia pela Fundação Universidade do Oeste de Santa Catarina - FUNDESTE (1987), mestrado em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC (1994) e doutorado em Educação (Currículo) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo- PUCSP (2000). Atualmente é docente e pesquisadora do Programa de Mestrado e Doutorado em Educação e Pró-Reitora de Ensino da Universidade do Vale do Itajaí – UNIVALI. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Currículos Específicos para Níveis e Tipos de Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: educação, ensino superior, currículo, avaliação e formação de professores.

Geovana Mendonça Lunardi Mendes

Possui graduação em Pedagogia Educação Especial pela Universidade Federal de Santa Catarina (1994), mestrado em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina (2000), doutorado em Educação: História, Política, Sociedade pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2005) com estágio de doutoramento no exterior em Currículo e Tecnologias na Universidade do Minho em Portugal. Realizou Pós-Doutorado na Argentina e nos Estados Unidos da América, na área de Currículo e Novas Tecnologias, na Universidad de San Andres em Buenos Aires e em Ashland University, em Ohio, com bolsa Capes durante 2010 e 2011. É Professora Associada do quadro permanente da Universidade do Estado de Santa Catarina, UDESC, atuando no Centro de Ciências da Educação, no curso de Pedagogia e no curso de Mestrado e Doutorado do Programa de Pós-graduação em Educação, na linha de pesquisa Educação, Comunicação e Tecnologia.. É coordenadora do Programa de Pós-graduação em Educação, Mestrado e Doutorado, da FAED, UDESC. Coordena o Observatório da Educação: Tablets, Computadores e Laptops, aprovado no Edital OBEDUC/ CAPES e também do Observatório em parceria com UNIVALI e UFRRJ.

Gígi Anne Horbatiuk Sedor

Possui Graduação e Mestrado em Filosofia pela Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC e Doutorado em Filosofia pela Universidade de São Paulo – USP. Lecionou na Rede Estadual de Ensino de Santa Catarina e nas universidades UFSC, UNIVALI e UDESC. Atualmente é professora do Instituto Federal de Santa Catarina – IFSC e supervisora editorial na Editora Sophos. Participa do colegiado do Laboratório de Ensino de Filosofia e Sociologia – LEFIS. Áreas de interesse: Epistemologia, Ensino de Filosofia, Filosofia da Educação.

Gilson Rocha Reynaldo

Licenciado em Química pela Universidade Federal de Santa Catarina (1983), mestre em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina (1994) e doutor em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina (2004). Atualmente é professor titular da Universidade do Sul de Santa Catarina. Atuou na rede estadual de Santa Catarina como Professor efetivo de Química de 1979 a 2005. Membro do grupo Interdisciplinar da Secretaria de Estado da Educação de Santa Catarina que elaborou a Proposta Curricular de Santa Catarina, área de Química e Ciências. Docente de Cursos de Atualização e Aperfeiçoamento em Química para Professores da Rede Estadual de Ensino. Coordenador em Santa Catarina do Programa Olimpíada de Química que envolve todas as unidades escolares (publicas e particulares) do Estado desde 2005. Tem experiência na área de Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: leitura, ciência, tecnologia, sociedade, alfabetização, sociedade e formação de professores, profissionalização docente, educação superior, contextualização e interdisciplinaridade.

Gilvan Luiz

Ivann Carlos

Possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade do Vale do Itajaí - UNIVALI - (2001), mestrado (2005) e doutorado (2010) em Sociologia Política pela Universidade Federal de Santa Catarina, com tese desenvolvida na Área de instituições políticas, comportamento político e conexão eleitoral. Atua no Ensino Superior desde 2003, tendo atuado como coordenador de curso superior entre 2006 e 2010. Entre 2005 e 2010 também atuou como consultor na Área de políticas públicas e planejamento governamental. Atualmente é professor Adjunto da Universidade Federal da Fronteira Sul - UFFS - onde atua nos cursos de graduação em Agronomia (com ênfase em agroecologia) e Letras, no Campus Cerro Largo (RS), onde também exerce, desde 2011, a função de Coordenador Acadêmico do Campus. Suas Áreas de pesquisa são: Ideias, Instituições e Práticas Políticas; Partidos e Eleições; Conexão Eleitoral; Teorias Políticas; Cultura e Desenvolvimento.

Jeruse Romão

É graduada em Pedagoga (UDESC), com mestrado em educação (UFSC). Atua na temática da educação e relações etnicorraciais, já tendo sido consultora da UNESCO para o Ministério da Educação (MEC) na proposição de políticas de educação para populações afrodescendentes e indígenas do país. É professora convidada do Núcleo de Estudos Afrobrasileiros da UDESC (NEAB UDESC). É organizadora de publicações na temática e, consultora de sistemas de ensino para a implementação de políticas públicas com ênfase para as atividades e políticas de formação de professores. Pesquisa sobre História da Educação do Negro no Brasil e as políticas públicas de acesso e permanência. É professora formadora ( Neab Udesc) na temática da religiosidade de matiz africana e as ações educativas no combate à intolerância religiosa.. É presidente do Fórum Permanente de Educação e Relações Etnicorraciais de Santa Catarina (2012-2014).

Jimena Furlani

Professora Efetiva da UDESC, desde 1994, na FAED (Centro de Ciências Humanas e da Educação). Doutora em Educação (UFRGS - 2005); Mestre em Educação (UFSC - 1993); Bacharel e Licenciada em Ciências Biológicas (UFSC, 1988 e 1992). Atuação na área da formação de educadoras/es para Educação Básica e profissionais da saúde, comunicação e segurança pública. Objetos de estudos: educacao sexual; sexualidade infantil, adolescente e adulta; estudos de gênero; livre orientação sexual; igualdade étnico racial; representação e desconstrução como recursos didático-metodológicos; diversidade e diferenças. Atua na formação continuada de docentes da Educação Básica para as seguintes Políticas Públicas: GDE - Gênero e Diversidade na Escola; SPE - Saúde e Prevenção nas Escolas; Brasil Sem Homofobia; PSE - Projeto Saúde na Escola.

Juares da Silva Thiesen

É graduado em Estudos Sociais pela Universidade do Oeste de Santa Catarina - FUNDESTE (1987) e em Geografia pela Universidade do Oeste de Santa Catarina - UNOESC (2000). É Mestre em Educação - Ensino Superior pela Fundação Universidade Regional de Blumenau - FURB (1995). É Doutor em Ciências Pedagógicas pelo Instituto Central de Ciências Pedagógicas -ICCP - Havana - Cuba/2002 (Título revalidado no Brasil pelo Parecer 209/CPG/2006 de 14/12/06 da Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC) e Doutor em Engenharia e Gestão do Conhecimento pela Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC (2009). É Professor na Universidade Federal de Santa Catarina- UFSC. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Currículo e Gestão Educacional. Discute principalmente os temas: Escola, Educação, Aprendizagem, Currículo, Prospecção de Cenários, Gestão e Conhecimento.

Leonel Piovezana

Possui graduação em História e Estudos Sociais pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Palmas (1984), especialização em História e Geografia pela UFSC - Doutorado em Desenvolvimento Regional com a Tese intitulada: Território Kaingang na Mesorregião Grande Fronteira do Mercosul - Territorialidades em confronto e mestrado em Desenvolvimento Regional pela Universidade de Santa Cruz do Sul (2000) Dissertação: Educação e Cultura na Terra Indígena Xapecó. Atualmente é professor titular da Universidade Comunitária da região de Chapecó e do Mestrado em Políticas Sociais e Dinâmicas Regionais da Unochapecó, coordenador dos cursos de Licenciatura Indígena. Tem experiência na área de História e Geografia, com ênfase em Teoria do Desenvolvimento Regional, atuando principalmente nos seguintes temas: educação ambiental, espaço social, plano diretor municipal, meio ambiente, educação escolar índígena, educação superior indígena, cultura e Monitoramento das interferências sobre as populações indígenas da Mesorregião Grande Fronteira do Mercosul e PDI - Plano de desenvolvimento Institucional.

Luis Carlos de Menezes

Professor Sênior do Instituto de Física da Universidade de São Paulo e orientador no Programa de Pós-Graduação Interunidades de Ensino de Ciências. Graduado na Universidade de São Paulo, mestrado em nos EUA e doutorado na Alemanha, onde foi professor. Consultor eventual do Ministério da Educação, como co-autor das matrizes do antigo Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), coordenador dos Parâmetros Curriculares Nacionais para as Ciências da Natureza e Matemática e, atualmente, membro do Conselho Técnico Científico da CAPES/MEC para a Educação Básica. Consultor da UNESCO para currículos integrados de ensino médio e profissional. Membro do conselho curador do Prêmio Jabuti, junto à Câmara Brasileira do Livro. Autor de livros (Física, Formação de Professores, poemas e textos didáticos).

Maria Lúcia Marocco Maraschin

Possui graduação em Pedagogia pela FAFI - Faculdades de Filosofia Ciências e Letras de Palmas -PR (1985), mestrado em Educação pela Pontifícia Universidade Católica PUC/RS (1998) e doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Brasil (2012). É especialista em alfabetização, educação popular e compreensão da realidade social, gestão institucional e docência na educação superior. Possui experiência na educação básica como professora e como gestora. E na educação superior, tem atuado na gestão e nos campos da didática, alfabetização e estágios curriculares. Atualmente possui vínculo docente na Universidade Federal da Fronteira Sul/Campus Chapecó. É pesquisadora do Grupo de Pesquisa Educação, Formação Docente e Processos Educativos, na UFFS e coordenadora Institucional do PIBID.

Maria Luiza Feres do Amaral

Mestre em Educação e Cultura pelo Centro de Ciências da Educação da Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC, Turma 2000. Pós-graduada em Musicoterapia pela universidade do Sul de Santa Catarina – UNISUL, Turma 2001. Graduada em música pela Faculdade de Educação Musical do Paraná – FEMP, em Curitiba, no curso de Licenciatura em Música em 2002. Professora do curso de licenciatura em música da Disciplina de Estágio supervisionado: Pesquisa da Prática pedagógica, Teclado e do Curso de Bacharelado em música nas disciplinas de leitura à primeira vista e Piano. Também atua como formadora no projeto de extensão - Capacitação docente: assessoria, produção e socialização de conhecimento musical para professores da educação infantil e Ensino Fundamental do município de Itajaí - pela Universidade do vale do Itajaí- UNIVALI, em parceria com a Secretaria Municipal de Educação- desde 2010.

Mary Elizabeth Cerutti Rizzatti

Possui graduação em Letras, mestrado em Linguística e Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; doutorado em Letras pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul; e pós-doutorado em Filosofia da Linguagem na Università degli Studi Aldo Moro, em Bari - Itália. É professora adjunta da Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC -, com experiência na área de Linguística e Letras. Foi Vice-coordenadora do Programa de Pós-graduação em Linguística da UFSC - 2009 a 2010 -; coordenou o Programa Pró-letramento Linguagem na Universidade Federal de Santa Catarina - 2010 a 2012 -; foi subcoordenadora do Programa Institucional de Iniciação à Docência, na área de Língua Portuguesa, na UFSC - 2010 a 2013 -; fundou e é membro do Núcleo de Estudos em Linguística Aplicada - NELA/UFSC, coordenando, no âmbito deste Núcleo, o grupo de estudos Cultura escrita e escolarização, que conta com vinte acadêmicos entre graduandos em Letras Português e pós-graduandos em Linguística. Faz parte do corpo editorial das Revistas Working Paper em Linguística e Fórum Linguístico. Estuda o ensino e a aprendizagem de língua materna; relações entre cultura escrita, identidade/alteridade e processos de escolarização; relações entre práticas sociais de uso da língua e inserção versus mobilidade social; formação de professores de Língua Portuguesa; alfabetismo e usos sociais da escrita.

Paulo Hentz

Possui Licenciatura em Estudos Sociais pela Fundação de Ensino do Desenvolvimento do Oeste (Chapecó - SC - 1980), Especialização em História da América pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras (Palmas - PR - 1984), mestrado em Educação pela UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina (Florianópolis - SC - 1994) e Doktor der Philosophie em Ciência Pedagógica pela UNIVERSITÄT GESAMMTHOCHSCHULE SIEGEN (Siegen - Alemanha - 2003). Atualmente é servidor do Conselho Estadual de Educação, professor da Universidade do Vale do Itajaí – UNIVALI, professor e coordenador de curso do Instituto de Parapsicologia e Potencial Psíquico de Florianópolis e parapsicólogo clínico. Foi membro efetivo do Conselho Estadual de Educação por 12 anos e coordenador do processo de Revisão e Aprofundamento da Proposta Curricular de Santa Catarina, no período de 1996 a 1998.

Priscila Ribeiro Ferreira

Universidade Federal da Fronteira Sul, Formação inicial de professores em Educação do Campo nas áreas de ensino: Ciências Naturais, Matemática e Ciências Agrárias e Ciências Sociais e Humanas. São já 27 anos de docência em Ensino Superior. Mestrado em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina, Graduações pela Universidade Federal do Paraná: Bacharelado em Comunicação Social: Jornalismo, Bacharelado e Licenciatura em História. Experiência em formação continuada por 25 anos. Em Santa Catarina participei da implementação da Proposta Curricular entre os anos de 1993 e 1998 com professores e técnicos.

Regina Ingrid Bragagnolo

Doutora em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina (PPGP/UFSC), Mestre em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina (PPGE/UFSC). Possui graduação em Psicologia pela Universidade do Sul de Santa Catarina (2004), graduação em Pedagogia pela Universidade do Estado de Santa Catarina (2004). Atualmente é professora titular da Universidade Federal de Santa Catarina no Núcleo de Desenvolvimento Infantil NDI/CED. Tem experiência na área de Educação e Psicologia, com ênfase em Fundamentos da Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: gênero, sexualidade, políticas públicas, violências e infância.

Rosângela

Santiago Pich

Possui graduação em Educação Física pelo Instituto Del Profesorado En Educación Física (IPEF - Córdoba - Argentina) (1996), e mestrado em Ciência do Movimento Humano pela Universidade Federal de Santa Maria (1999). Realizou seu doutoramento no Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas (PPGICH) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) (2009). Atualmente é professor do Departamento de Estudos Especializados em Educação (EED) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), e membro do Colégio Brasileiro de Ciências do Esporte (CBCE). Ainda, participa do Grupo de Pesquisa das culturas de movimento corporal: Paidotribas vinculado à Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul - UNIJUÍ. Trabalhou entre os anos de 2009 e 2010 no programa de pós-graduação Mestrado Profissionalizante em Saúde e Gestão do trabalho da UNIVALI. Atua como professor colaborador do Programa de Pós-Graduação (Doutorado) Interdisciplinar em Ciências Humanas (PPGICH/UFSC). Tem experiência na área de Educação Física, com ênfase em Educação Física escolar, atuando principalmente nos seguintes temas: pedagogia da Educação Física, cultura escolar, corpo e saúde, corpo, religião, secularização e modernidade, formação superior e epistemologia.

Soraya Franzoni Conde

Atualmente é professora do Núcleo de Desenvolvimento Infantil/Centro de Ciências da Educação da UFSC, coordenadora geral do Curso de Especialização em Docência na Educação Infantil da UFSC/MEC/SEB e professora da disciplina de Metodologia de Ação e de Investigação na Educação Infantil. É doutora em Educação e mestre em Sociologia Política pela UFSC com pesquisa sobre o trabalho infantil no campo. Graduada em Pedagogia com experiência na educação infantil, na educação do campo e na pesquisa com movimentos sociais do campo.. Realizou doutorado sanduíche em Portugal, pesquisando o trabalho infantil, as políticas públicas de erradicação e as metodologias de pesquisas empregadas no país. Foi professora substituta na UFSC (2007 - 2008) e professora orientadora do Curso de Licenciatura em Educação do Campo (UNB/ITERRA/ 2009 - 2010) e do Curso de Especialização em Educação Infantil (2010 - 2012). Atuou como pesquisadora no Instituto Educampo/UFSC (2008 - 2011). É pesquisadora do Núcleo de Estudos sobre as Transformações no Mundo do Trabalho (TMT/CED-CFH/UFSC) e membro do Fórum Catarinense de Erradicação do Trabalho Infantil.. Atua principalmente nos seguintes temas: trabalho infantil, trabalho e educação, educação infantil, educação do campo, movimentos sociais do campo, educação infantil do campo.

Verena Wiggers

Possui graduação em Serviço Social pela Universidade do Sul de Santa Catarina(1983), graduação em Pedagogia pela Universidade do Sul de Santa Catarina(1985), especialização em Orientação Educacional pela Universidade do Sul de Santa Catarina(1987), especialização em Met. do Ensino: Séries Iniciais (pré à 4ª série) pela Universidade Federal de Santa Catarina(1996), mestrado em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina(1999), doutorado em Educação (Currículo) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo(2007) e Pós-Doutorado em Educação pela Universidade de São Paulo – USP-SP (2013). É professora de Educação Infantil no Núcleo de desenvolvimento Infantil da Universidade Federal de Santa Catarina – NDI/CED/UFSC. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Tópicos Específicos de Educação. Atuando principalmente nos seguintes temas:Currículo, Educação de crianças, Educação Infantil.

Viviane Maria Heberle

Viviane M. Heberle é professora de inglês e linguística aplicada da UFSC e pesquisadora do CNPq. É graduada em Letras Português / Inglês pela Universidade Mackenzie (SP), mestre em Linguística e Letras pela PUC RS e doutora em Letras/Inglês pela UFSC. Lecionou inglês e prática de ensino de inglês na PUC RS, foi professora visitante do Westhill College em Birmingham, Inglaterra e fez pós-doutorado na University of Sydney, Austrália. Já colaborou em projetos de ensino de inglês com a SED SC, e recentemente em estudos de texto e discurso no projeto NUAPE da SED da Bahia. Tem experiência na área de Linguística Aplicada, análise crítica do discurso e multiletramentos.

Willian Simões

Atualmente é professor da área de Ensino da Geografia da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS). Doutorando em Geografia pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Atuou como professor da Educação Básica entre os anos de 2001-2012; como técnico pedagógico em Geografia (2004-2005) e Educação do Campo (2005-2010) na Secretaria de Estado da Educação do Paraná (SEED-PR). Estuda e trabalha com Educação Geográfica e Formação de Professores. Estuda temáticas relacionadas ao eixo: Questão Agrária, Juventude Rural e Educação do Campo. Faz parte do Coletivo de Estudos sobre conflitos pelo território e pela terra (ENCONTTRA) e da Articulação Regional por uma Educação do Campo de Santa Catarina.

MIDIATECA

1- Legislação

1.1 – Lei 9394/1996 de Diretrizes e Bases da Educação Nacional

1.2 – Lei Complementar Nº 170/1998 do Sistema Estadual de Educação de Santa Catarina.

1.3 –.Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais para a Educação Básica
1.3.1- Revisão das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil
1.3.2- Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Fundamental de 9 (nove) anos
1.3.3 - Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio
1.3.4 - Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Profissional Técnica de Nível Médio
1.3.5 - Consulta referente às orientações para o atendimento da Educação do Campo
1.3.6 - Diretrizes Operacionais para o atendimento educacional especializado na Educação Básica, modalidade Educação Especial
1.3.7 - Diretrizes Nacionais para a oferta de educação para jovens e adultos em situação de privação de liberdade nos estabelecimentos penais
1.3.8 - Reexame do Parecer CNE/CEB nº 23/2008, que institui Diretrizes Operacionais para a Educação de Jovens e Adultos – EJA, nos aspectos relativos à duração dos cursos e idade mínima para ingresso nos cursos de EJA; idade mínima e certificação nos exames de EJA e Educação de Jovens e Adultos desenvolvida por meio da Educação a Distância;
1.3.8 - Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Escolar Indígena;
1.3.9 - Diretrizes para o atendimento de educação escolar de crianças, adolescentes e jovens em situação de itinerância;
1.3.10 - Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Escolar Quilombola;
1.3.11 - Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana;
1.3.12 - Diretrizes Nacionais para a Educação em Direitos Humanos;
1.3.13 - Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Ambiental.


2- Proposta Curricular de Santa Catarina


3- Textos, Artigos Publicados, Capítulos de Livros


4 - Livros

Vol. 1, 2ª ed, Educação de Jovens e Adultos: uma memória contemporânea, 1996-2004
Vol. 2, 1ª ed, Educação Anti-Racista: caminhos abertos pela Lei Federal nº 10.639/03
Vol. 3, 1ª ed, Construção Coletiva: contribuições à educação de jovens e adultos
Vol. 4, 2ª ed, Educação Popular na América Latina: diálogos e perspectivas
Vol. 5, 1ª ed, Ações Afirmativas e Combate ao Racismo nas Américas
Vol. 6, 1ª ed, História da Educação do Negro e outras Histórias
Vol. 7, 2ª ed, Educação como Exercício de Diversidade
Vol. 8, 1ª ed, Formação de Professores Indígenas: repensando trajetórias
Vol. 9, 1ª ed, Dimensões da Inclusão no Ensino Médio: mercado de trabalho, religiosidade e educação quilombola
Vol. 10, 1ª ed, Olhares Feministas
Vol. 11, 1ª ed, Trajetória e Políticas para o Ensino das Artes no Brasil: anais do XV CONFAEB
Vol. 12, 1ª ed, O Indio
Vol. 13, 1ª ed, A Presença Indígena na Formação do Brasil
Vol. 14, 1ª ed, Povos Indígenas e a Lei dos "Brancos": o direito à diferença
Vol. 15, 1ª ed, Manual de Lingüística: subsídios para a formação de professores indígenas na área de linguagem
Vol. 16, 1ª ed, Juventude e Contemporaneidade
Vol. 17, 1ª ed, Católicos Radicais no Brasil
Vol. 18, 1ª ed, Brasil Alfabetizado: caminhos da avaliação
Vol. 19, 1ª ed, Brasil Alfabetizado: a experiência de campo de 2004
Vol. 20, 1ª ed, Brasil Alfabetizado: marco referencial para avaliação cognitiva
Vol. 21, 1ª ed, Brasil Alfabetizado: como entrevistamos em 2006
Vol. 22, 1ª ed, Brasil Alfabetizado: experiências de avaliação dos parceiros
Vol. 23, 1ª ed, O que Fazem as Escolas que Dizem que Fazem Educação Ambiental?
Vol. 24, 1ª ed, Diversidade na Educação: experiências de formação continuada de professores
Vol. 25, 1ª ed, Diversidade na Educação: como indicar as diferenças
Vol. 26, 1ª ed, Pensar o Ambiente: bases filosóficas para a Educação Ambiental
Vol. 27, 1ª ed, Juventudes: outros Olhares sobre a Diversidade
Vol. 28, 2ª ed, Educação na Diversidade: experiência e desafios na educação intercultural bilíngüe
Vol. 29, 1ª ed, Programa Diversidade na Universidade e a Construção de uma Política Educacional Anti-Racista
Vol. 30, 1ª ed, Acesso e Permanência da População Negra no Ensino Superior
Vol. 31, 1ª ed, Escola que Protege: enfrentando a violência contra crianças e adolescentes
O impacto do racismo na infância


5 - Apresentações

5.1 – Webconferência

5.1.1 – 1ª Webconferência (19/03/2014)
        5.1.1.1 - Proposta Curricular de Santa Catarina: fundamentos - Paulo Hentz

5.1.2 – 2ª Webconferência (09/04/2014)
        5.1.2.1 - O RESPEITO à DIVERSIDADE como um PRINCÍPIO EDUCACIONAL - Jimena Furlani
        5.1.2.2 - Diversidade como princípio educativo: questões conceituais - Geovana Mendonça Lunardi Mendes

5.1.3 – 3ª Webconferência (07/05/2014)
        5.1.3.1 - Educação Básica, formação integral e elaboração conceitual - Cássia Ferri

5.1.4 – 4ª Webconferência (11/06/2014)
        5.1.4.1 - Uma outra escola é possível - Jaqueline Moll

5.1.5 – 5ª Webconferência (16/07/2014)
        5.1.5.1 - Ciências Humanas: Balanço das Atividades
        5.1.5.2 - Linguagens
        5.1.5.3 - Educação Infantil e Anos Iniciais do Ensino Fundamental

5.2 - Seminário Presencial

5.2.1 – 1º Seminário Presencial (25 a 27/03/2014)
        5.2.1.1 - 1ª mesa - Proposta Curricular de Santa Catarina: atualização possível - Paulo Hentz
        5.2.1.2 - Percurso de constituição coletiva da Proposta Curricular de Santa Catarina - Juares da Silva Thiesen
        5.2.1.3 - Educação Especial: um novo lugar na educação brasileira - Rosângela Machado
        5.2.1.4 - Educação Ambiental - Antônio Carlos Machado da Rosa
        5.2.1.5 - Diversidade como princípio educativo: que atualizações possíveis? - Geovana Mendonça Lunardi Mendes

5.2.2 – 2º Seminário Presencial (23 a 25/04/2014)

5.2.3 – 3º Seminário Presencial (27 a 29/05/2014)
        5.2.3.1 - O aluno elaborando conceitos - Cássia Ferri
        5.2.3.2 - A proporcionalidade no currículo em espiral
        5.2.3.3 - Conversando sobre Formação Integral - Juares da Silva Thiesen

5.2.4 – 4º Seminário Presencial (24 a 26/06/2014)

5.2.5 – 5º Seminário Presencial (29 a 31/07/2014)

5.3 - Grupo de Produção

CONTATO / SUPORTE

Suporte a Eventos/Seminários – Para dúvidas referente a Eventos/Seminários relacionados a Proposta Curricular de Santa Catarina, entre em contato pelo e-mail anaclaudia@acafe.org.br.

Suporte Técnico/Pedagógico – Para dúvidas referentes a parte Pedagógica relacionada a Proposta Curricular de Santa Catarina, entre em contato pelo e-mail pce@acafe.org.br.

Suporte Tecnológico – Para dúvidas referente a inscrição no site da Proposta Curricular de Santa Catarina, entre em contato pelo e-mail suporte.ti.pce@sistemaacafe.com.br